sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Saiba o que é o ecstasy em 10 curiosidades



O nome "técnico" do ecstasy é um pouco mais complicado: 3,4 metilenodioximetanfetina ou MDMA. O MDMA age sobre um neurotransmissor chamado serotonina, provocando sensação de prazer.

As drogas à base de MDMA foram provavelmente criadas no início do século XX como substâncias contra hemorragias. Elas nunca foram comercializadas. Permaneceram esquecidas até o início dos anos 1970, quando passaram a ser recomendadas por psicoterapeutas. A alegação era de que, em doses pequenas, levariam os pacientes a falar sem dificuldades sobre os seus problemas.

De acordo com os usuários, o ecstasy é capaz de causar uma forte "empatia com os outros", além de bem-estar, conforto e excitação.

Um dos efeitos curiosos do ecstasy é a hipersensibilidade do tato. O toque de outra pessoa tem efeito multiplicado no corpo. É como se toda a pele do usuário se transformasse numa zona erógena super-sensível. Não é sem motivo que muitos jovens se tocam o tempo todo ou se envolvem em grande abraços coletivos durante as raves - festas movidas a música eletrônica.

O ecstasy é ingerido por via oral no formato de comprimido – normalmente do tamanho de uma aspirina.

De acordo com os especialistas, o ecstasy é a maior roubada. Ele é capaz de levar a complicações que vão de amnésias temporárias a desidratação, aumento da temperatura corporal (hipertermia), náusea, tensão muscular e exaustão extrema . A overdose provoca hipertensão e perda de consciência.  Ainda não há provas concretas, mas suspeita-se que esse tipo de droga provoque lesões cerebrais.

Acredite se quiser, mas boa parte das mortes de usuários do ecstasy é provocada pela elevação anormal da temperatura corporal (lembrando que além de estimulante, a serotononina aumenta a temperatura). Quando o corpo atinge a temperatura de 41 graus, o sangue pode coagular e a pessoa morrer de parada cardíaca.

A quantidade de serotonina no cérebro de um usuário é de 50% a 80% a mais do que no cérebro de uma pessoa que não tomou esse tipo de metanfetamina.

A fama de estimulante sexual do ecstasy não passa de boato. Tudo indica que a "droga do amor" esteja provocando efeitos contrários, como dificuldade de ereção nos homens e falta de lubrificação natural nas mulheres. Os cientistas suspeitam ainda que, além de dificuldade de ereção, o ecstasy pode impedir ou retardar o orgasmo. 

As complicações derivadas do ecstasy podem ocorrer em duas ocasiões, dependendo do caso: durante ou depois do uso da droga. Os usuários podem senti-las dias ou mesmo semanas após a sua ingestão.

Mais informações sobre esse assunto em: Mais Que Curiosidades 

Nenhum comentário:

Postar um comentário