quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

10 segredos e informações curiosas sobre a França


 
Na época do Império Romano o território da atual França era chamado de Gália. O nome do país vem da tribo germânica dos francos, cujo nome significa "homens livres".

As três cores da bandeira francesa simbolizam os ideais da Revolução Francesa Liberdade (Liberté), Igualdade, (Égalité) e Fraternidade (Fraternité). Representam também o poder legislativo, o executivo e o povo.

Chamado de A Marselhesa (La Marseillaise, em francês), o hino nacional  foi composto em 1 792 por um oficial do exército chamado Claude Joseph Rouget de Lisle. Ele recebeu esse nome por ter sido popular entre as unidades do exército de Marselha durante a Revolução Francesa.

Entre as atrações mais visitadas da França está um cemitério. O cemitério Père Lachaise atrai milhões de turistas – inclusive brasileiros – ávidos por conhecer os túmulos das personalidades lá sepultadas, como o cantor Jim Morrison, o compositor Chopin e o escritor Oscar Wilde.

Muitas palavras usadas no vocabulário brasileiro são de origem francesa. Anote aí: ateliê, balé, batom, cabaré, camelô, carnê, chalé, champanhe, complô, filé, garçom, lingerie, maiô, metrô, perfume, pivô, purê, sutiã, toalete e tricô.

Os franceses são os maiores produtores e exportadores de vinhos do mundo. Também estão entre os grandes consumidores. Aliás, as uvas consideradas nobres são, em grande parte francesas: chardonnay, cabernet sauvignon, cabernet franc, malbec, merlot, pinot meunier, pinot noir….

Por falar em vinho, você sabia que o autêntico champanhe (que, na verdade, é uma espécie de vinho espumante) é produzido na região de Champanhe-Ardenne, na França?

Queijos. Os franceses são grandes produtores e consumidores do produto. Existem mais de 400 variedades do produto no país. Alguns dos mais conhecidos: Camembert, Roquefort, Brie, Caprice des Dieux e Raclette.

Os franceses desconhecem o nosso pãozinho francês. A receita surgiu no início do século 20, na época da Primeira Guerra Mundial, por encomenda de brasileiros ricos que voltavam de viagem a países da Europa – provavelmente inspirados na baguete francesa. Ela difere da receita do pão europeu por usar farinha e fermento diferentes.

Na França, os tradicionais bolinhos de chuva (como são conhecidos no Brasil) são chamados de pet de nonne – algo como  “peido de freira”.

Mais informações em curiosidades sobre esse assunto em: Mais Que Curiosidades

Nenhum comentário:

Postar um comentário