domingo, 20 de novembro de 2016

10 informações úteis e curiosas sobre a dengue


Dizem que dengue é uma palavra de origem árabe que significa “astenia”, ou fraqueza. Mas existe outra versão. De acordo com ela, dengue é derivado da frase swahili “ki dengu pepo”, que descreve os ataques provocados por supostos maus espíritos.

São registrados cerca de 100 milhões de casos de dengue por ano no mundo. Os casos de dengue hemorrágica passam de 500 mil/ano.

O mosquito – ou pernilongo, ou muriçoca, ou carapanã, dependendo da região –  transmissor da dengue é o Aedes aegpyti, também responsável pela transmissão do tipo urbano da febre amarela, da zika e da chikungunya.

Como identificar o Aedes aegypti? Fácil, ele é escuro e possui diversas manchas brancas em todo o corpo.

Ao contrário do mosquito transmissor da malária, o Aedes aegypti pica durante o dia. O curioso é que, como em quase todos as espécies de mosquitos, somente a fêmea se alimenta de sangue (elas precisam do sangue para produzir ovos).

Você sabia que o Aedes aegypti voa, no máximo, 1,5 metro de altura e não mais do que 200 metros de distância do local em que nasceu? Portanto, se você topar com um mosquitinho desses, pode ter certeza de que existe um criadouro por perto.

Existem quatro “versões”  da dengue: Tipo 1, Tipo 2, Tipo 3 e Tipo 4. No Brasil, as mais comuns são as do Tipo 1 e 2. A diferença entre um e outro está no grau de violência que atinge o ser humano.

Os principais sintomas da dengue “clássica”  são febre alta, dor de cabeça, dor nos olhos, dor nas articulações e dor nos músculos. Podem ocorrer manchas avermelhadas na pele, além de náuseas e vômitos. Na dengue hemorrágica os sintomas são os mesmos, porém mais intensos e graves. A má notícia é que não existe tratamento específico para a doença, os médicos apenas tratam dos sintomas.

A primeira coisa que a pessoa deve fazer caso suspeite estar com dengue é tomar bastante liquido, repousar e evitar tomar anti-inflamatórios com ácido acetilsalicílico. Os comprimidos com AAS podem aumentar as hemorragias. Outra coisa coisa importante: procure o médico o mais rapidamente possível.

Os ovos do mosquito podem resistir por até 400 dias nos cantinhos de vasos e lugares que acumulam água, mesmo que eles estejam secos. Para evitar que eles se desenvolvam é preciso limpar bem o local onde havia água parada (não basta secar o recipiente com água).

Para mais informações, veja: Mais Que Curiosidades

Nenhum comentário:

Postar um comentário