sábado, 12 de novembro de 2016

10 informações curiosas sobre o mito John Lennon



John Lennon e Yoko Ono se casaram em 1969. Eles aproveitaram o casamento para promover um evento pacifista chamado “John e Yoko na cama pela paz”.

Por falar em pacifismo, você sabia que John devolveu sua medalha de Membro do Império Britânico à Rainha Elizabeth para protestar contra o envolvimento do Reino Unido na Guerra do Vietnã?

O casal se separou em 1973, mas voltou a dividir o mesmo teto dois anos depois. John e Yoko permaneceram juntos até a morte dele em 1980.

John Lennon e Paul McCartney escreviam músicas em colaboração um com o outro, e mesmo as canções que faziam sozinhos eram creditadas a dupla Lennon/McCartney.

Lançado em 1970, o primeiro disco solo de Lennon contou com a participação de Ringo Starr.

Lennon e seus amigos músicos pensaram em mais de cinco nomes antes de adotarem The Beatles. O primeiro a pensar no nome foi o então baixista Stuart Sutcliffe, que sugeriu The Beetles (os besouros) em homenagem a banda The Crickets (os grilos), de Buddy Holly.

A audiência de um show dos Beatles transmitido pela TV norte-americana em 1964 foi de impressionantes 73 milhões de pessoas – ou seja, quase 1/3 da população do país.

Assim que foi preso pela polícia, Mark Chapman, o assassino do ex-Beatle, afirmou que leu no livro O Apanhador no Campo de Centeio, de J. D. Salinger, uma mensagem para matar John Lennon.

Alguns fanáticos religiosos não só acreditam como propagam a teoria conspiratória de que John Lennon foi assassinado por certa vez afirmar que os Beatles são mais populares do que Jesus Cristo.

Uma pesquisa realizada nos Estados Unidos escolheu Imagine como uma das três melhores canções de todos os tempos. As outras duas foram My Way, de Frank Sinatra, e Hotel California, da banda Eagles.


Nenhum comentário:

Postar um comentário