quarta-feira, 26 de outubro de 2016

10 tópicos curiosos e chocantes sobre a grande epidemia de peste negra


 
A peste bubônica é uma doença provocada pela bactéria Yersinia pestis e tem como principais sintomas manchas escuras na pele, febre, perda de coordenação motora, confusão mental e, em muitos casos, aumento do volume do fígado e do baço.

O principal agente causador da doença é a pulga que, ao picar a pessoa ou animal, transmite a bactéria para ela. Acredita-se que, na Europa do século XIV, a bactéria era transmitida dos ratos para as pulgas e, destas, para os seres humanos.

Os sintomas da peste costumam surgir poucos dias (pouquíssimos, na verdade) após a exposição à bactéria. Eles normalmente aparecem de dois a cinco dias, mas há casos em que demoram 12 dias. A maior parte das mortes ocorre entre o terceiro e quinto dia após o surgimento dos sintomas.

A peste negra foi tão devastadora que 1/3 da população europeia foi dizimada no curto período de quatro anos, entre 1347 e 1351.

Dos 140 monges de um convento em Montpellier, na França, apenas sete sobreviveram. Aliás, o medo do contágio era tamanho que levou o papa a suspender a extrema unção aos mortos.

Para variar, a epidemia acabou provocando xenofobia e aumentando o preconceito religioso. As cidades eram fechadas para os forasteiros e os judeus e muçulmanos acusados de propagarem a doença. Dezenas de comunidades judias foram atacadas e milhares de judeus afogados ou queimados. 

Surgiram diversos movimentos religiosos, uma delas foi a Irmandade dos Flagelantes. Para aplacar a suposta ira de Deus, eles se flagelavam nas costas com tiras de relho com pontas de ferro.

O preconceito com a peste era tão grande que muitos doentes eram abandonados nas floresta para lá morrerem. Os mais pobres eram enterrados em valas comuns. Corpos eram abandonados nas ruas. O cheio da morte estava em todo lugar.

Um surto de peste em 1665 em Londres matou algo em torno de 70 000 pessoas. A epidemia foi relatada pelo escritor Daniel Defoe no livro Um Diário do Ano da Peste. Na época em que ela ocorreu, Defoe (que ficou conhecido como o criador de Robinson Crusoé) era um menino de quatro anos.

Um das últimas grandes epidemias de peste ocorreu na Índia e em partes da Ásia no final do século XIX e início do XX, matando cerca de 11 milhões de pessoas.

Mais informações: Mais Que Curiosidades

Nenhum comentário:

Postar um comentário