segunda-feira, 24 de outubro de 2016

10 peculiaridades sobre o azeite que você precisa conhecer



Existem mais de 400 espécies de oliveira, mas a única que produz os frutos e óleos que consumimos é a da espécie Olea europaea.

Frutos? É isso mesmo que você leu na curiosidade acima: a azeitona é uma fruta, ou drupa (um tipo de fruto carnoso e com um caroço no centro).

Todas as azeitonas são verdes, ficando negras com a maturação. Ou o correto seria dizer que todas são negras?

Acredite se quiser, mas a oliveira é capaz de viver mais de mil anos.

As palavras azeite e azeitona vieram do árabe. Mas por que dizemos “azeite de oliva”  ao invés de “óleo de azeitona”, já que o azeite é um tipo de óleo? Por hábito. Aliás, seria estranho (e redundante) se chamássemos o produto de “azeite de azeitona”.

Você sabia que para extrair um litro de azeite são necessários de 5 a 6 quilos de azeitonas?

O que é um azeite virgem? Anote: é aquele extraído por métodos físicos, não químicos. Ele possui entre 1% e 2% de uma substância chamada de ácido oleico. Se essa concentração for inferior ou igual a 1%, o azeite é chamado de extra-virgem.

Ao contrário do vinho, o azeite não melhora com o passar do tempo. O azeite é um produto que deve ser consumido o mais rapidamente possível. A validade do produto é de 24 meses.

Para manter a qualidade, o azeite deve ser guardado em ambiente escuro.

Quer aprender a preparar um ótimo repelente de mosquitos? Então, faça uma lamparina de azeite. O óleo queimado é um formidável repelente, melhor até que muitos inseticidas.


Nenhum comentário:

Postar um comentário