domingo, 16 de outubro de 2016

10 fatos curiosos e peculiares sobre a África do Sul


 
A África do sul possui mais de dez línguas oficiais, mas a língua administrativa – ou seja, usada no mundo governamental e dos negócios – é o inglês.

Os bôeres são descendentes de europeus que falam uma língua própria chamada africâner. Falado na África do Sul e em parte da Namíbia, o africâner recebeu influências do holandês, inglês e outras línguas.

A África do Sul possui três capitais: Pretória (administrativa), Bloemfontein (judiciária) e Cidade do Cabo (legislativa).

Setenta por cento da população sul-africana é negra. Os brancos representam 12%. Os outros 18% são representados por indianos, asiáticos e outros grupos.

As carnes de caça são muito apreciadas por sul-africanos e turistas. É comum encontrar pratos com carnes de antílope (o springbok), avestruz, javali, zebra e até crocodilo nos restaurantes sofisticados do país.

O Parque Nacional Kruger, o mais conhecido território da vida selvagem sul-africana, é maior do que o Estado de Israel.

Existe em Joanesburgo um museu sobre o apartheid, o regime de segregação racial que vigorou durante décadas na África do Sul.

A fruta típica da África do Sul é a marula, conhecida no Brasil por causa do licor Amarula. Se aproveita quase tudo da marula. Com a polpa são feitas sucos, geleias e licores. Do caroço é fabricado óleo protetor para a pele. Já as folhas da árvore são usadas para tratar a má digestão.

Existe um país independente, com língua e administração próprios, que fica praticamente dentro da África do Sul e se chama Lesoto.

As leis de trânsito são praticamente idênticas às brasileiras. A África do Sul aceita carteira internacional de habilitação. O único cuidado que o motorista deve ter é com a “mão inglesa” utilizada no país.


Nenhum comentário:

Postar um comentário