quinta-feira, 13 de outubro de 2016

10 curiosidades sobre uma data que incomoda muitas gente: a sexta-feira 13



Na numerologia, o número 12 é considerado perfeito. Exemplos: 12 meses no ano, 12 tribos de Israel, 12 apóstolos de Jesus ou 12 signos do zodíaco. Já o 13 é considerado um número irregular, o que pode significar infortúnio.

O medo irracional do número 13 é chamado de triscaidecafobia. Já o medo da sexta-feira 13 ganhou o nome de (tente pronunciar) frigatriscaidecafobia ou parascavedecatriafobia.

A fama de agourento do 13 não é de hoje. O antigo Código de Hamurabi (um dos mais antigos conjuntos de leis escritas, elaborado por volta de 1700 antes de Cristo) possui 282 cláusulas, mas a de número 13 simplesmente não existe.

Uma das teorias sobre essa fatídica sexta-feira é baseada na Última Ceia. A refeição feita por Jesus e seus discípulos teria a presença de 13 pessoas, entre elas o traidor Judas. Para reforçar o mito, Jesus foi crucificado numa sexta-feira.

O Ato Institucional Nº 5 (AI-5), que endureceu o regime militar brasileiro, foi assinado em 13 de dezembro de 1968, uma sexta-feira.

Nos Estados Unidos e em outras partes do mundo, muitos prédios simplesmente não tem o 13º andar. Além do mais...

Ao que tudo indica, a sexta-feira 13 prejudica a economia dos Estados Unidos. As perdas chegam a U$ 900 milhões. O motivo? Acredite, muitos americanos não gostam de viajar ou fechar negócios nesse dia.

O Centro de Zoonoses das cidade de São Paulo proibiu a adoção de gatos pretos na sexta-feira 13. O objetivo é evitar sacrifícios em rituais de magia.

Supersticioso, o cantor Roberto Carlos não gosta de trabalhar nas sextas-feiras. Sexta-feira 13, então, nem pensar.

Em muitos países do Oriente, o número da má sorte não é o 13, mas o 4.


Nenhum comentário:

Postar um comentário