segunda-feira, 17 de outubro de 2016

10 curiosidades sobre os bizarros buracos negros


Um buraco negro surge quando uma estrela com massa pelo menos 25 vezes superior a do Sol consome todo o seu combustível e implode. O núcleo entra em colapso (ele “desaba sob seu próprio peso”) e a partir de um determinado momento a estrela passa a se comportar como uma espécie de ralo cósmico “sugando” toda a matéria ao seu redor.

A fronteira imaginária ao redor do buraco negro é chamada de Horizonte de Eventos.

Os buracos negros podem ser vistos (nesse caso, entenda-se “vistos” como uma metáfora) através da matéria interestelar ao seu redor, cuja radiação pode ser detectada da Terra.

O diâmetro do Sol é de 1,4 milhões de quilômetros e a massa, 333 mil vezes maior do que a da Terra. Caso tivesse um diâmetro menor que 6 quilômetros, ele se contrairia a ponto de se transformar num buraco negro. Por falar nisso…


Se o universo é finito e está em expansão, como asseguram os cientistas, o que existe além e fora dele? O nada absoluto. A matéria, o tempo e o espaço simplesmente são inexistentes além do nosso universo. Os cientistas chamam esse fenômeno de singularidade.

A singularidade não existe apenas fora do universo, mas, acredite, dentro dele. Mais propriamente no interior dos buracos negros! Como a gravidade titânica dos buracos negros é capaz de sugar tudo ao redor – até mesmo a luz –, eles se transformam em pontos de dimensão zero… ou singularidades. Isso significa que...

O tempo e o espaço são inexistentes no interior do buraco negro.

Existem fortes indícios da presença de um buraco negro super massivo no interior da galáxia M87. A sua massa é estimada em 3 bilhões de massa solares. O fenômeno aconteceu na direção da constelação do Dragão.

Essa é realmente bizarra: muitos cientistas não só creem em buracos negros, como acreditam que o universo seria o buraco negro de outro universo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário