sábado, 15 de outubro de 2016

10 coisas que você devia aprender sobre os calendários



O primeiro calendário de que se tem notícias surgiu em meados de 2700 antes de Cristo, na Mesopotâmia. Era um calendário lunar com 12 meses de 29 ou 30 dias.

Chamado de gregoriano, o nosso calendário é o mais utilizado do mundo. Ele recebeu esse nome porque foi promulgado pelo papa Gregório XIII em 1582 para substituir o calendário juliano.

O calendário juliano foi criado pelo líder romano Júlio César em 46 antes de Cristo. Aliás, o mês de julho recebeu esse nome para homenagear o próprio Júlio César. Agosto foi instituído em referência a Augusto, sucessor de César.

A mudança do calendário juliano para o gregoriano demorou três séculos. Alguns países o adotaram logo que ele foi criado, mas outros só o adotaram séculos depois.

O mês de Janeiro recebeu esse nome por causa do deus romano Jano, deus das portas, passagens, inícios e fins.

Enquanto o calendário gregoriano é solar, a maioria dos demais calendário (judaico, islâmico, chinês etc) é lunar.

O calendário islâmico é lunar, baseado nos ciclos da lua. O primeiro ano desse calendário é o ano da fuga do profeta Maomé de Meca para Medina. O ano novo islâmico é chamado de Muharram.

A maioria dos calendários usa a semana de sete dias. Os dias da semana em português obedece a liturgia católica. Nos outros países, eles lembram o nome de deuses pagãos. A maior unanimidade é em relação ao sábado, o chamado “dia do descanso”.

Nunca existiu um ano zero, pois o zero não era conhecido na época em que os calendários foram criados.


Nenhum comentário:

Postar um comentário